quarta-feira, 29 de junho de 2011

Por que contratar um arquiteto???

No fim, pode sair mais barato

O custo de contratar um arquiteto
pode caber no orçamento para
decorar ou reformar a residência

Ter uma casa bonita, confortável e desenhada por um arquiteto como nas revistas de decoração não é só para milionários e celebridades. A supervisão de um profissional qualificado ajuda muito na concepção do novo espaço para a moradia e pode garantir o bom andamento de qualquer obra. Em um imóvel recém-adquirido ou em via de ser reformado, dá até mesmo acredite para economizar nos gastos, no fim das contas. "O arquiteto tem uma visão global, que lhe permite desenvolver um projeto no qual estarão planejadas todas as etapas da construção, evitando desperdício de tempo e de material", explica o arquiteto José Borelli Neto, diretor do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado de São Paulo (Crea-SP). Com o acompanhamento de um profissional, evitam-se dores de cabeça típicas de reformas e construções, como escolher e comprar material e fiscalizar o trabalho de pedreiros, e, o que é mais importante, reduzem-se bastante os riscos de ter de derrubar tudo e fazer novamente. É por esses motivos que a procura pelo serviço vem aumentando. De acordo com uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Arquitetos de Interiores e Decoradores (ABD), 62% dos entrevistados afirmaram que, em relação a seus pais, estão investindo mais em decoração.
"A arquitetura é um mercado em expansão, que vai conquistando a classe média", atesta o presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil, Gilberto Belleza. Segundo ele, a mudança de comportamento deve-se também ao aumento do número de profissionais no mercado, o que tornou os preços mais acessíveis. "Até a década de 60, somente a Universidade de São Paulo e o Mackenzie ofereciam cursos de arquitetura. Agora, só em São Paulo já são mais de sessenta escolas", contabiliza. Os consumidores começaram a descobrir que há gente talentosa a preços mais acessíveis que os de vedetes da prancheta, como Sig Bergamin, João Armentano e Brunete Fraccaroli, de São Paulo, ou Cláudio Bernardes e Chicô Gouveia, do Rio de Janeiro. Como, aliás, ocorre na maioria das atividades profissionais. As formas mais comuns de cobrança são por metro quadrado do projeto de casa ou apartamento, por hora de trabalho (quando se trata de um pedido específico, como escolher os móveis junto com o cliente) ou ainda com base em um porcentual sobre o custo total da obra (confira no quadro). O arquiteto pode fazer projetos completos de imóveis residenciais e comerciais ou efetuar reformas internas gerais ou de apenas alguns cômodos, além de cuidar de todos os detalhes da decoração, como combinar os tecidos de sofás com as cortinas. Alguns realizam todas as etapas. Outros se dedicam mais à parte interna dos imóveis e recebem a denominação de arquitetos de interiores mercado também disputado pelos decoradores, aqueles sem diploma de curso superior em arquitetura. O decorador, ao menos na teoria, não tem habilitação para derrubar paredes ou mexer na parte elétrica e hidráulica, mesmo que possa fazê-lo até bem graças à experiência. Na prática, sua função limita-se mais à escolha de móveis, tecidos e revestimentos.
Os preços variam bastante, em conseqüência da experiência de um profissional e sobretudo da quantidade de ricos e famosos que integram seu portfólio. Um projeto assinado por Sig Bergamin (responsável pelas residências de nomes como Roberto Marinho, Maitê Proença, Malu Mader e Nizan Guanaes) pode chegar a 80.000 reais. Para consultar o também consagrado João Armentano que tem entre seus clientes os apresentadores Angélica, Eliana e Luciano Huck , pode ser preciso desembolsar algo semelhante. "A assinatura de arquiteto conhecido valoriza o imóvel", garante Armentano. Ele conta que um cliente repetiu seu nome mais de trinta vezes na planta de um imóvel que desejava vender. "Não ganho pela obra, mas por seu resultado final, pela qualidade do trabalho, que é o que atrai as pessoas", completa. É possível encontrar arquitetos com experiência que cobram 3.000 reais pelo projeto de um apartamento de 150 metros quadrados ou até 60 reais pela hora de consulta. Outro expediente para reduzir o impacto do custo é dividir o valor do projeto, conforme suas etapas. Para não haver desentendimentos, o cliente deve deixar bem claro quanto pretende gastar antes de iniciar o trabalho. O mais importante na hora de escolher um arquiteto é certificar-se de sua competência e identificar-se com seus projetos. Antes de contratá-lo, recomenda-se verificar se ele está cadastrado no Crea. O órgão alerta para a necessidade de fazer um contrato escrito, que deve especificar em quanto tempo o projeto será entregue, bem como o detalhamento de todas as suas etapas. "O arquiteto é como um médico. Para contratá-lo a pessoa deve confiar em sua capacidade", compara Brunete Fraccaroli, também uma expoente do ramo. Dona de uma grife muito celebrada no mercado, Brunete aconselha os interessados, entretanto, a buscar menos o nome e mais a identidade com o estilo do trabalho já realizado pelo profissional. Segundo ela, num mundo que valoriza cada vez mais a moradia, o arquiteto deixou de ser uma criatura supérflua, antes procurada para dar palpites sobre a cor da cortina, para se converter em um fornecedor de boas soluções para a vida das pessoas dentro de casa.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Limpeza dos ambientes


Guardar objetos e outras coisas inúteis pode gerar opressão, depressão, fadiga e outros desequilíbrios. Energia saudável é energia em movimento e a desordem causa estagnação. Todas as coisas que nos pertencem e também o ambiente em que vivemos estão intimamente impregnados com a nossa energia, e ao limpá-los estamos liberando o fluxo de energia no nosso corpo, mente e espírito. A limpeza deve ser feita de forma física e energética.
Limpeza Física
Nada guarde que não seja útil nem belo”

Limpar com consciência, livrando-se de coisas inúteis, com defeito, ou que não servem no momento. Isto libera alguma energia em nosso corpo também.
Limpeza Energética

São técnicas destinadas à limpeza de energia estagnada nos ambientes, elevando o nível de vibração, sendo necessária uma preparação da pessoa que se propõe a fazê-la. Existem forças invisíveis atuando tanto quanto as que vemos e sentimos normalmente. E não é uma questão de acreditar ou não, as coisas acontecem independente de se crer. Por isto trabalhamos no sentido de limpar e transformar a energia nos ambientes, constatando mudanças a cada momento.

Se você tiver interesse em conhecer como a limpeza física e energética dos ambientes pode afetar a nossa saúde e a harmonia em nossas residências e ambientes de trabalho e também as técnicas de limpeza energética dos ambientes, envie um email para schella.arq@gmail.com .